Biografia

Escritor

Sua produção literária é vasta, embora pouco conhecida. A divulgação de seus poemas, crônicas e outros escritos tem se restringido à inclusão em algumas coletâneas, livros coletivos e jornais e revistas. Em 1998 a editora Hemisfério Sul, de Blumenau, publicou seu livro de literatura juvenil A Morte do Arco-Íris. Em 2001 ganhou o primeiro lugar no concurso de contos da Revista Poiésis. Em 2006 recebeu menção honrosa no Concurso de Contos Yage, em Salzburg, na Áustria.

Literatura

Jorge Antunes, conhecido nacional e internacionalmente como compositor e maestro, faz literatura desde sua adolescência.  Ele nasceu em 23 de abril de 1942 e a partir de 1962 passou a ser reconhecido no mundo musical como o precursor da Música Eletrônica no Brasil. Além de se graduar em Violino, Composição Musical e Regência, ele tem também formação científica, tendo se formado em Física. É Doutor em Estética pela Sorbonne, Université de Paris VIII. Foi Professor Titular do Departamento de Música da Universidade de Brasília de 1973 a 2011 quando se aposentou.

Sua produção literária é vasta, embora pouco conhecida. A divulgação de seus poemas, crônicas e outros escritos tem se restringido à inclusão em algumas coletâneas, livros coletivos e jornais e revistas. Em 1998 a editora Hemisfério Sul, de Blumenau, publicou seu livro de literatura juvenil A Morte do Arco-Íris. Em 2001 ganhou o primeiro lugar no concurso de contos da Revista Poiésis. Em 2006 recebeu menção honrosa no Concurso de Contos Yage, em Salzburg, na Áustria.

Sua produção de juventude abordou várias das formas acadêmicas (soneto, trova, canção, etc), mas já em 1963 aderia ao verso livre e à aliteração. Sua vivência musical de compositor de vanguarda o levou à busca da onomatopéia em seus poemas, o que até hoje usa dando à sua poesia um forte caráter percussivo e musical.

Em novembro de 1967 Antunes participou do lançamento carioca do movimento Poema-Processo, ao lado de Alvaro de Sá, Newton Sá e Wladimir Dias Pino, expondo seus poemas na famosa e polêmica mostra na ESDI da Rua do Passeio.

Em 1990 Jorge Antunes realizou, no Teatro Nacional de Brasília, seu espetáculo intitulado SONS  E  LETRAS  em que, de modo performático, apresentou seus poemas minimalistas, escritos com grandes letras de isopor, ao vivo, em grandes telas, com a apresentação simultânea de suas obras musicais de vanguarda. Essa nova corrente estética criada por Antunes consiste na invenção de poemas formados por versos extraídos de uma única palavra. Alguns desses poemas estão incluídos na pequena coletânea da série “Livro na Rua”, publicado recentemente pela Editora Thesaurus, sob a coordenação do escritor João Carlos Taveira.

A atual fase de Antunes, no domínio da arte poética, se embrenha em inovadora estilística com o uso de versos, em poemas intimistas, que são escritos de forma retrogradada, para serem lidos de trás para frente. Alguns desses poemas, de caráter erótico, podem ser lidos Aqui.

A atual produção musical do maestro Antunes adota linguagem com estruturas sintáticas usando figuras de linguagem próprias da poesia. Nessa vertente, ele propõe novos princípios daquilo a que ele chama Música Figural.

 

Livros publicados:

Livros Técnico–Musicais:

ANTUNES, Jorge – A correspondência entre os sons e as cores. Brasília: Editora Thesaurus, 1982.

ANTUNES, Jorge – Notação na Música Contemporânea. Brasília: Editora Sistrum, 1989.

ANTUNES, Jorge – Sons Novos para o Piano, a Harpa e o Violão. Brasília: Editora Sistrum, 2003.

ANTUNES, Jorge – Sons Novos para os Sopros e as Cordas. Brasília: Editora Sistrum, 2005.

ANTUNES, Jorge – Sons Novos para a Voz. Brasília: Editora Sistrum, 2007.

ANTUNES, Jorge – Sons Novos para a Percussão. Brasília: Editora Sistrum, 2009.

 

Literatura:

ANTUNES, Jorge – A Morte do Arco-Íris (Romance, literatura infanto-juvenil). Blumenau: Editora Hemisfério Sul, 1998.

ANTUNES, Jorge – Poemas (livreto, série “O Livro na Rua”) Brasília: Editora Thesaurus, 2008.

 

Em coletâneas e revistas:

Vários trabalhos publicados.

Share This